História em dez anos de ENEM (exames de 2010 a 2019)

2 de janeiro de 2021

30
compartilhamentos

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é o maior vestibular do Brasil e o segundo maior do mundo, atrás somente do Gaokao, o vestibular da China.  Criado em 1998, o Enem nasceu para avaliar anualmente o aprendizado dos alunos do Ensino Médio em todo o país. Seus resultados serviram de referência para a elaboração de políticas de melhoria do ensino brasileiro através dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) do Ensino Médio e Fundamental, promovendo alterações nos mesmos conforme indicasse o cruzamento de dados e pesquisas nos resultados do Enem.

O primeiro modelo de prova do Enem, utilizado entre 1998 e 2008, tinha 63 questões aplicadas em um dia de prova. A partir de 2004, o resultado do exame serviu para o ingresso ao ensino superior em universidades públicas brasileiras.

Em 2009, foi introduzido um novo modelo de prova, com o aumento do número de questões objetivas para 180 (divididas em quatro grandes áreas), uma questão de redação e a realização do exame em dois dias.

Através do SiSU (Sistema de Seleção Unificada), os alunos poderiam se inscrever para as vagas disponíveis nas universidades brasileiras participantes do sistema. Como a utilização do Enem e do SiSU pelas universidades brasileiras é opcional, algumas universidades ainda utilizam concursos vestibulares próprios para seleção dos candidatos às vagas.

A prova também começou a ser utilizada para a aquisição de bolsa de estudo integral ou parcial em universidades particulares através do ProUni (Programa Universidade para Todos) e para obtenção de financiamento através do Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior).

O resultado do Enem é aceito em universidades de Portugal: de Lisboa, Coimbra e Beira Interior.

O componente História no Enem

O Enem avalia competências e não informações e, por isso, a prova não é dividida por matéria. Além disso, o exame valoriza a transdisciplinaridade. Isso significa, que ele traz questões que exigem do candidato a mobilização de conhecimentos de duas ou mais disciplinas para serem respondidas. Como História compõem a área de Ciências Humanas e suas Tecnologias junto com Geografia, Filosofia e Sociologia, as questões trazem conteúdos que dialogam com esses componentes, podendo, até mesmo, dialogar com outras áreas do conhecimento.

Essa abordagem transdisciplinar é um complicador para selecionar questões de História, visando avaliar seu peso no exame e a recorrência de seus conteúdos. Mesmo considerando o esforço transdisciplinar que se busca implementar na educação, o Ensino Básico continua dividido por disciplina, assim como os cursos de licenciatura ainda formam professores por disciplina. Os candidatos do Enem são preparados por professores especialistas, estudam e fazem exercícios separados por disciplina. Portanto, considerando um exame com 180 questões e 14 componentes1 torna-se relevante saber o peso e o conteúdo de cada componente, principalmente para que o estudante planeje seu estudo.

(1) Matemática, Biologia, Física, Química, História, Geografia, Filosofia, Sociologia, Língua Portuguesa, Literatura, Língua estrangeira, Artes, Educação Física e Informática. 

Para levantar informações referentes ao componente História nos últimos dez anos de Enem recorreu-se ao banco de questões Laplace. Essa plataforma, além reunir todos os exames, também estabelece uma taxonomia dos conteúdos (de todos componentes), o que permitiu identificar os temas e os períodos históricos mais recorrentes nos exames incluindo aqueles transdisciplinares. Foi possível, então, elaborar os gráficos que se seguem.

A primeira observação foi constatar que História é o componente das Ciências Humanas com maior peso no Enem (Gráfico 1). Entre 2010 e 2019, as questões de História corresponderam a 43% do total de questões, ficando bem à frente de Geografia (30%), Filosofia (16%) e Sociologia (11%).

Gráfico 1 – Os componentes de Ciências Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia) no Enem de 2010 a 2019: porcentagens de questões

História do Brasil: o conteúdo mais presente no Enem

Os conteúdos mais recorrentes de História no Enem de 2010 a 2019 foram aqueles referentes à História do Brasil com 44% das questões (gráfico 2). Seguem-se História Geral (27%), Temas Transversais (18%), História da América (5%), Introdução à História (4%) e História da África (2%).

A pequena participação de História da África no Enem contradiz a importância dada a esse conteúdo no Ensino Básico desde a aprovação da Lei 10.639/2003 que tornou obrigatório o estudo da história e cultura afro-brasileira e africana. As questões referentes a esse tema limitam-se à escravidão no período colonial e monárquico brasileiro.

Gráfico 2 - Enem

Gráfico 2 – Os conteúdos de História que mais caíram no Enem entre 2010 e 2019.

Examinando a incidência desses conteúdos ano a ano, observa-se que eles oscilaram durante o período 2010 a 2019 (Gráfico 3). História do Brasil quase sempre esteve à frente (exceção no exame de 2012) ultrapassando, em alguns anos, a mais da metade das questões de História. Em 2011, por exemplo, quase 70% das questões do Enem foram de História do Brasil.

No Enem de 2019, contudo, houve uma mudança significativa: História do Brasil caiu para menos de 30% enquanto Temas Transversais ganhou projeção com 35% das questões.

História da África começou a aparecer em 2012 e novamente em 2014, 2016 e 2017 sendo este o último ano que marcou presença no Enem.

Gráfico 3 - Enem

Gráfico 3 – Conteúdos de História no Enem, ano a ano (de 2010 a 2019).

Os temas de História do Brasil que mais caíram no Enem

História é o componente mais extenso das Ciências Humanas, iniciando com discussão sobre historiografia e pesquisa histórica, daí estendendo-se da Pré-História à Contemporaneidade, detendo-se na história do Brasil, da América e da África, passando por temas relativos à cultura afro-brasileira e indígena, e culminando com a compreensão de dezenas de conceitos com suas particularidades e relativismos.

Mesmo sendo um exame que não exige do estudante a memorização de datas e nomes, o Enem cobra a contextualização história, a identificação de diferentes interpretações, o reconhecimento de mudanças e permanências ao longo dos tempos e em diferentes espaços – competências que só são alcançadas com um sólido conhecimento histórico,  a compreensão da historicidade e o domínio do tempo histórico.

Nesse oceano de conteúdos, fornecer ao estudante os temas mais recorrentes de História é lhe jogar uma boia para ele não morrer afogado. A “boia de salvação” está indicada nos gráficos abaixo.

Entre os anos 2010 e 2019, História do Brasil República foi o tema mais presente no Enem (gráfico 4), seguido muito atrás por Período Colonial, Período Monárquico e Idade Contemporânea – os três com quase a mesma incidência de questões.

Gráfico 4 - Enem

Gráfico 4 – Os temas de História mais recorrentes do Enem de 2010 a 2019.

Examinando mais de perto as questões de História do Brasil, os 5 assuntos que mais caíram no Enem 2010 a 2019 foram:

Brasil República (gráfico 5): República Oligárquica – questões sociais, Era Vargas – Estado Novo e Nova República – questões sociais

Publicidade

Brasil Monárquico (gráfico 6): Escravidão e abolição

Período Colonial e Pré-Colonial (gráfico 7): Sistema colonial português

Gráfico 5

Gráfico 5 – Assuntos de Brasil República mais recorrentes no Enem 2010 a 2019.

Gráfico 6 - Enem

Gráfico 6 – Assuntos de Brasil Monárquico mais recorrentes no Enem 2010 a 2019

Gráfico 7 - Enem

Gráfico 7 – Assuntos de Brasil Colonial e Pré-Colonial mais recorrentes no Enem 2010 a 2019.

História Geral no Enem: temas mais recorrentes

No período de 2010 a 2019, História Geral teve 27% de questões no Enem sendo, em sua maior parte, temas da Idade Contemporânea. Não houve, contudo, a prevalência de um ou outro tópico desse período. Sete assuntos de Idade Contemporânea (gráfico 8) apareceram em igual proporção ao longo desses dez anos: Oriente Médio (questão palestina), África contemporânea, Imperialismo, crise de 1929, regimes nazifascistas, Segunda Guerra Mundial e Guerra Fria.

Sobre Idade Moderna (gráfico 9), os temas que mais caíram foram: expansão marítima europeia, Revolução Industrial séculos XIX e XX, e Renascimento.

Sobre Idade Média e Antiguidade (gráfico 10), os assuntos mais recorrentes foram: Baixa Idade Média (renascimento comercial e urbano) e Atenas antiga.

Gráfico 8 - Enem

Gráfico 8 – Assuntos mais recorrentes de História Contemporânea no Enem 2010-2019.

Gráfico 9 - Enem

Gráfico 9 – Assuntos mais recorrentes de Idade Moderna no Enem 2010-2019.

Gráfico 10 - Enem

Gráfico 10 – Assuntos mais recorrentes de Idade Média e Idade Antiga no Enem 2010-2019.

História e temas transversais no Enem

Os temas transversais são constituídos pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s) e constituem um conjunto de assuntos que abrangem seis áreas:

  • Ética (respeito mútuo, justiça, diálogo, solidariedade),
  • Orientação Sexual (corpo: matriz da sexualidade, relações de gênero, prevenções das doenças sexualmente transmissíveis),
  • Meio Ambiente (ciclos da natureza, sociedade e meio ambiente, manejo e conservação ambiental),
  • Saúde (autocuidado, vida coletiva),
  • Pluralidade Cultural (pluralidade cultural e a vida das crianças no Brasil, constituição da pluralidade cultural no Brasil, o ser humano como agente social e produtor de cultura, pluralidade cultural e cidadania),
  • Trabalho e Consumo (relações de trabalho, trabalho, consumo, meio ambiente e saúde, meios de comunicação de massas, publicidade e vendas, direitos humanos, cidadania).

Os temas transversais têm por principal objetivo aproximar a escola da realidade vivida pelos alunos, ou seja, trazer as disciplinas, os professores e os conteúdos escolares mais próximo do mundo do estudante. Daí os temas transversais não constituírem uma área de conhecimento específica, mas, como diz o seu nome, eles devem aparecer transversalizados no currículo do Ensino Básico, isto é, trabalhados de modo coordenado no interior de várias áreas.

Não há portanto, temas transversais de História, porém, um tema transversal pode ser tratado de maneira a se articular com a História ou mobilizar conhecimentos históricos como, por exemplo, o papel da mulher em um determinada sociedade, as epidemias na História, o desmatamento em um dado contexto histórico, genocídios na História etc. Dessa forma, identificamos no Enem questões referentes aos temas transversais (gráfico 11) que se articulam ao componente de História. Os temas mais recorrentes foram gênero, raça e sexualidade, cidadania e direitos humanos.

O gráfico 11 traz, também, os assuntos mais presentes sobre América, África e Estudo de História no Enem 2010-2019.

Gráfico 11 – Temas transversais, América, Estudo da História e África no Enem 2010-2019.

Monte sua lista de questões do Enem

Com as informações acima, é possível o estudante organizar seu plano de estudos focando nos assuntos mais importantes e montar uma lista de questões para se exercitar.

Sugerimos, para isso, consultar a plataforma Laplace na qual é possível selecionar questões por temas, assuntos e exames. A plataforma traz, inclusive, questões tipo Enem (Enem-Like) que foram elaboradas por seus professores para o estudante se familiarizar com o modelo usado nesse exame.

Para os seguidores do Ensinar História, a plataforma Laplace está oferecendo 30 dias de acesso gratuito a todas as disciplinas. Para isso, preencha o cadastro e, ao final, digite no campo “Cupom de desconto” a senha PROFJOELZA.

Bons estudos e boa sorte no Enem!

 

Compartilhe

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Outros Artigos

Últimos posts do instagram

Fique por dentro das novidades

Insira seu e-mail abaixo para receber atualizações do blog: