Falando em pirâmides: 32 pirâmides ao redor do mundo

10 de fevereiro de 2015

591
compartilhamentos

A forma piramidal fascina o homem desde tempos remotos a tal ponto que se criou termo piramidologia para referir-se ao conjunto de crenças pseudocientíficas que dotam as pirâmides e, por extensão, a forma piramidal, de poderes místicos ou sobrenaturais.

Talvez por ser a forma de construção mais antiga e geométrica, as pirâmides egípcias têm gozado de maior popularidade simbólica, especialmente a pirâmide de Queóps que sem dúvida devia causar forte sensação com seus 146 metros de altura revestida com pedra polida e coroada com placas de ouro brilhando na planície desértica.

O Egito Antigo não foi, contudo, a única civilização a construir pirâmides. Há centenas delas espalhadas pelo planeta. Em diferentes estilos, tamanhos e funções, encontram-se pirâmides no Oriente Médio, África, Ásia, América, Europa e no Pacífico Sul.

Pirâmides no mundo

O Egito Antigo não foi a única civilização a construir pirâmides. A estrutura piramidal inspirou a construção de diversos povos da Antiguidade.

Há pirâmides de alturas que variam de 9 metros a mais de 100 metros, e comprimentos de 30 metros a 975 metros. Algumas tem câmaras internas, outras são sólidas. A parte exterior pode ter paredes lisas ou ser construída em forma escalonada. Podem terminar em um vértice ou serem encimadas por um pequeno templo. Há pirâmides muito decoradas com pinturas e relevos. As bases têm formatos variados: quadradas, elípticas ou circulares. O material de construção também é variado: pedra, tijolos de barro ou adobe.

Segue uma lista de 32 pirâmides espalhadas em todos os continentes.

Escolha a sua favorita.

PIRÂMIDES DO ORIENTE MÉDIO

É na antiga Mesopotâmia (atual Iraque), no Oriente Médio, que se conhecem os mais antigos edifícios em forma piramidal. Os templos mesopotâmicos, chamados zigurates, eram pirâmides truncadas.

Os zigurates eram construções maciças feitas de tijolos, com a base quadrada, retangular ou oval sobre a qual erguiam-se plataformas, cada uma delas com área menor do que a plataforma inferior. Isso dava, ao zigurate, a aparência de uma pirâmide com degraus. Monumentais escadas davam acesso ao topo onde ficava o santuário da divindade.

A bíblica Torre de Babel teria sido um zigurate construído na Babilônia no terceiro milênio a.C.

O zigurate mesopotâmico influenciou a arquitetura religiosa de povos vizinhos. Daí encontrar-se esse tipo de estrutura em outros locais. Seguem, abaixo, três exemplos de zigurates.

1. Zigurate de Tepe Sialk, em Kashan, Irã, 3000 a.C.

O Irã é o berço de uma das mais antigas grandes civilizações do mundo, com assentamentos históricos e urbanos que datam de 7000 a.C. Na região central do Irã, encontram-se as ruínas do Zigurate de Tepe Sialk, datado de 3000 a.C. construído pela cultura Zayandeh, nome do rio  às margens do qual teria surgido.

Os arqueólogos especulam que a cultura Zayandeh tenha se desenvolvido ao mesmo tempo que a civilização sumeriana, no Iraque, e as civilizações do Vale do Indo, no Paquistão atual.

Zigurate de Tepe Sialk, em Kashan, Irã, 3000 a.C.

Zigurate de Tepe Sialk, em Kashan, Irã, 3000 a.C. Foi construído próximo a grandes fontes de águas cristalinas que funcionam ainda hoje.

2.Zigurate de Ur, Iraque, 2100 a.C.

Ur foi uma cidade sumeriana, no sul da Mespotâmia, região do atual Iraque. Cidade citada na Bíblia de onde teria saído o patriarca Abraão conduzindo seu povo para Canaã. Cidade associada, também, a Gilgamesh, o primeiro herói semidivino conhecido por meio de um poema escrito.

Ur foi uma cidade portuária, construída num ponto crucial onde os rios Tigre e Eufrates se juntam e correm para o golfo Pérsico. Essa localização tornou Ur um importante centro comercial. Já era uma cidade estabelecida por volta de 3.800 a.C. e foi continuamente habitada até 450 a.C.

zigurate Ur Iraque

Zigurate de Ur, Iraque, 2100 a.C. Dedicado à deusa da Lua, Nanna, suas ruínas abrangem uma imensa área e se elevam a 20 metros acima do nível atual da planície local. No local foram encontrados grande quantidade de objetos sumerianos.

3. Zigurate de Choga Zanbil, em Khuzestan, Irã, 1250 a.C.

O zigurate de Choga Zanbil faz parte de um complexo de edifícios com dezenas de templos, palácios reais, palácio funerário e tumbas. Foi construído pela civilização elamita, antiga civilização pré-iraniana que se desenvolveu no extremo oeste do atual Irã. Choga Zanbil era a capital religiosa do reino elamita, tendo por Susa a capital polítca.

Como o lugar não possuía fonte de água adequada, o rei mandou escavar um grande canal que trazia água de um rio a quilômetros de distância. Parte desse canal ainda hoje é utilizado pela população local.

O sítio arqueológico de Choga Zanbil foi escavado em seis temporadads pelo arqueólogo russo Roman Ghirshman (1895-1979). Atualmente, o local tem sido ameaçado pelos testes sísmicos para exploração de petróleo realizados a uma distância de 300 metros do zigurate.

zigurate Chogha Zanbil em Khuzestan,

Zigurate de Choga Zanbil, em Khuzestan, Irã, 1250 a.C. É um dos mais preservados zigurates do mundo. Erguido na capital religiosa do reino elamita, o zigurate era o principal templo da cidade.

PIRÂMIDES DA ÁFRICA

As pirâmides africanas, erguidas pelos antigos egípcios e pelos núbios (ou cuxitas), são consideradas pirâmides “verdadeiras” por terem base quadrada e vértice. Elas, contudo, não foram obra do acaso. Ao contrário, os construtores enfrentaram dificuldades para chegar à forma que vemos hoje. Foram necessários muitos cálculos, experimentos com erros e acertos para chegar a um resultado satisfatório que não provocasse desmoronamentos.

Além disso, extrair o bloco da pedreira, fazer o corte certo e seu polimento para uma obra daquelas dimensões não foi uma tarefa fácil. Inicialmente, os blocos tinham apenas 20 cm de altura mas, conforme os construtores melhoravam suas técnicas, eles conseguiam fazer blocos maiores que chegaram a 50 cm de altura e um peso máximo de 500 kg.

As ferramentas utilizadas eram feitas de madeira, pedra e cobre. A metalurgia do ferro demorou a chegar no Egito. O arquiteto responsável pela pirâmide mais antiga do Egito, deixou seu nome gravado na obra: Imnhotep.

4. Pirâmide de Djoser, em Mênfis, Egito, 2650 a.C.

Foi a primeira pirâmide feita com blocos de pedra e a que inaugurou a era das pirâmides no Egito Antigo. Até então, os túmulos dos faraós eram as mastabas. Feitas de tijolos, elas formavam um maciço retangular de paredes inclinadas. O faraó Djoser (2630-2611 a.C.) encomendou a Imnhotep uma construção monumental: seis mastabas, colocadas uma sobre a outra, de dimensões gradualmente menores. Foram feitos cinco projetos diferentes. O resultado final foi uma pirâmide truncada, em plataformas, conhecida como Pirâmide de Degraus.

A Pirâmide dos Degraus, em Sacara, é a primeira pirâmide do Egito. No lugar de tijolos, foram utilizados blocos de pedra, uma experiência

Pirâmide de Djoser, Egito

Pirâmide de Djoser, também conhecida como pirâmide de degraus ou pirâmide de Sacara, Egito, 2610 a.C. Obra do arquiteto Imnhotep para o faraó Djoser (III Dinastia), essa pirâmide de 60 metros altura, foi a primeira feita com blocos de pedra.

5. Pirâmide Curvada, Dahshur, Egito, 2600 a.

Durante sua construção, a pirâmide do faraó Snefru (IV Dinastia, 2630 ou 2613 a.C. a 2609 ou 2589), começou a apresentar rachaduras o que obrigou seu arquiteto a reforçar as paredes. O resultado final foi uma pirâmide com um estranho formato arredondado, o que a tornou conhecida como pirâmide romboidal. É uma das pirâmides mais bem conservadas no Egito, provavelmente devido ao modo como as pedras foram colocadas.

Pirâmide Curvada, Dahshur, Egito, 2600 a.C.

Pirâmide Curvada ou romboidal, Dahshur, Egito, 2600 a.C. Construída pelo faraó Snefru (IV Dinastia), teria sido erguida às pressas, o que justifica seu formato torto. Tem 102 metros de altura e base com 190 metros em cada lado).

6. Pirâmide Vermelha, Dahshur, Egito, 2600 a.C.

Insatisfeito com a pirâmide curvada, o faraó Snefru mandou erguer outra pirâmide um quilômetro ao norte. Chamada de Pirâmide Vermelha pela cor avermelhada do granito, ela levou dezessete anos para ser construída. Acredita-se que quando foi terminada, era a maior estrutura criada pelo ser humano no mundo. Foi, também, a primeira pirâmide “verdadeira” com lados lisos do mundo (o revestimento exterior em calcário polido praticamente desapareceu, restando uns poucos na base da pirâmide).

Ela foi construída com o ângulo raso de 43 graus, o que lhe dá uma aparência visivelmente mais baixa do que a das outras pirâmides egípcias de escala comparável.

Pirâmide Vermelha, Egito

Pirâmide Vermelha, Dahshur, Egito, 2600 a.C. Construída pelo faraó Snefru (IV Dinastia), é considerada a primeira pirâmide “verdadeira”. Tem 105 metros de altura e base com 220 metros de cada lado.

7. Pirâmide de Queóps (ou Khufu), em Gizé, Egito, 2560 a.C.

Queóps ou Khufu, (IV Dinastia, 2551 a 2528 a.C.) era filho de Snefru e foi responsável pela construção da maior das pirâmides egípcias, com 146,5 metros de altura. Originalmente estava revestida com pedra polida que formava uma superfície externa lisa. No interior possui passagens que levam a três câmaras, uma das quais deve ter abrigado o sarcófago do faraó.

As técnicas de sua construção ainda são muito discutidas. A hipótese mais aceita é dela ter sido construída com pedras extraídas de uma pedreira e levadas em trenós movidos por força humana. Estima-se ter levado cerca de 20 anos para ficar pronto e necessitado de uma força de trabalho de 100 mil pessoas que não eram escravos, mas homens livres.

No vale de Gizé, há ainda as pirâmides dos faraós Quéfrem e Miquerinos, de dimensões pouco menores. Após eles, a construção de pirâmides foi sendo abandonada. A partir de 2.400 a.C., os faraós optaram por outro tipo de túmulo, escavado na rocha do Vale dos Reis, ao sul do delta do Nilo.

Pirâmide de Queóps,Egito

Pirâmide de Queóps (ou Khufu), em Gizé, Egito, 2560 a.C. Com base de 230 metros de cada lado, ela tinha originalmente 146,5 metros, e possuía 2,3 milhões de blocos de pedra. É a mais antiga das Sete Maravilhas do Mundo Antigo e a única a permanecer em grande parte intacta.

8. Tumba do rei Kashta, em Shendi, Sudão, 500 a.C.

O sul do Egito, no território do atual Sudão, era ocupado pelos núbios ou cuxitas. Eles desenvolveram uma brilhante civilização que manteve um ativo comércio com o Egito, para onde os núbios enviavam ouro, marfim, ébano e escravos. Por volta de 1150 a.C., a Núbia caiu sob domínio egípcio. Em 750 a.C., a relação se inverteu: faraós núbios governaram o Egito, período conhecido como “dinastia dos faraós negros” (25ª dinastia, de 750 a 660 a.C.).

Sob a influência da cultura egípcia, os kushitas adotaram os cultos a Ísis, Osíris e Amon, ergueram pirâmides, templos e fortificações e adotaram a escrita hieroglífica. As pirâmides cuxitas, menores (6 a 30 metros de altura) e mais íngremes do que as egípcias (ângulo de 70 graus), erguiam-se sobre a sepultura do faraó. A múmia era enterrada abaixo da pirâmide e não dentro dela como faziam os egípcios.

Piramide de Méroe.

Tumba do rei núbio Kashta, em Shendi, Sudão, 500 a.C.

9. Pirâmides de Jebel Barkal, em Karima, Sudão, 300 a.C.

Jebel Barkal, às margens do rio Nilo, é o nome árabe moderno de uma pequena montanha de 98 metros de altura. Aos seus pés foi construída a capital do reino Núbio onde ergueram-se 24 edifícios importantes entre templos, capelas, palácios e pirâmides, dos quais apenas 11 foram escavados. Os templos maiores, como o de Amun , são ainda hoje considerado sagrado para a população local. O conjunto de pirâmides é um dos mais bem preservados do Sudão e testemunha a riqueza do reino cuxita.

Jebel-Barkal-Sudan em Karima.

Pirâmides de Jebel Barkal, em Karima, Sudão, 300 a.C. Jebel Barkal é um dos maiores sítios arqueológicos do Sudão.

PIRÂMIDES DO EXTREMO ORIENTE

Há quem diga que a China tem mais pirâmides do que o Egito e tão ou mais antigas. Só nas montanhas Qin Ling Shan, cerca de 100 km a sudoeste da cidade de Xian, na província de Shaanxi, calcula-se cerca de 100 pirâmides. Como estão localizadas em uma área reservada ao programa espacial, o acesso é proibido pelo governo chinês. Daí que as evidências arqueológicas da existência da pirâmide não estão disponíveis.

As pirâmides chinesas são antigos mausoléus em forma piramidal construídos para abrigar os restos dos primeiros imperadores da China e seus parentes imperiais. Cerca de 38 deles estão localizados ao noroeste de Xian.

Xian ou Xi’an, China

Xian ou Xi’an, a área da maioria das pirâmides na China.

10. Mausoléu de Shi-Huangdi, em Xian, China, 210 a.C.

Construído para servir de sepultura a Shi-Huangdi (221-2016 a.C.), da dinastia Qin, o primeiro imperador da China unificada. O mausoléu é uma construção fabulosa que, segundo um escritor contemporâneo, ocupou 700 mil trabalhadores. Hoje, os especialistas fazem uma estimativa mais modesta, cerca de 16 mil homens levaram dois anos para construir o mausoléu.

Para proteger o imperador por toda eternidade foi esculpido um exército de terracota em tamanho natural, com cerca de 6 mil soldados, colocados em formação militar e portando armas verdadeiras: espadas, lanças e bestas. Cavalos com seus arreios e selas completavam o exército.

Shi-Huangdi mandou construir a Grande Muralha, aproveitando fortificações anteriores que foram unidas para formar uma gigantesca defesa contra as invasões de tribos nômades do norte e noroeste.

Mausoleu Qin Shi, Xian, China

Mausoléu de Shi-Huangdi, dinastia Qin, em Xian, reconstituição artística. O mausoléu ainda não foi escavado.

11. Grande Pirâmide Branca, Qin Ling Shan, China

Pouco se sabe sobre a Grande Pirâmide Branca, da China. Especula-se que ela tenha 300 metros de altura e base com 400 a 450 metros de cada lado. Os arqueólogos, contudo, sugerem um tamanho menor, cerca de 220 metros de altura, o que ainda é uma medida espetacular, muito acima da pirâmide egípcia de Queóps. Acredita-se que seja o túmulo do imperador Wu (156-87 a.C.), da dinastia Han, que sucedeu Shi Huangdi.

Pirâmide Branca, China

Grande Pirâmide Branca, da China. Estima-se que tenha 300 metros de altura e base com 400 a 450 metros de cada lado. Foto de 1945, atribuída a James Gaussman, piloto da Força Aérea dos Estados Unidos.

 12. Tumba do General, em Ji’an, China, 300 d.C.

A Tumba do General ou Pirâmide Oriental, localizada em Ji’an, na província chinesa de Jilin, é uma estrutura piramidal com 7 plataformas construídas de pedra. Tem 13 metros de altura e base de 75 metros de cada lado. Foram encontrados dois sarcófagos de pedra na câmara funerária. Acredita-se ter pertencido ao rei coreano Gwanggaeto ou seu filho Jangsu, época áurea do reino Goguryeo, um dos antigos Três Reinos da Coréia.

general jian China, 300 d.C.

Tumba do General ou Pirâmide Oriental, em Ji’an, China, 300 d.C. Localizada em território chinês, a tumba diz respeito à antiga civilização coreana, durante o reino de Goguryeo, entre 37 a.C. e 668 d.C.

13. Tumbas Xia Ocidental, em Ningxia Hui, China, 1048 d.C.

A dinastia Xia governou a China entre os séculos XI e XIII até cair sob domínio de Gengis Khan. As sepulturas de seus imperadores estão espalhadas em uma área de 50 km2, a noroeste da China. Ali se encontram nove mausoléus imperiais e 250 tumbas de parentes e funcionários reais. O mausoléu do primeiro imperador funde a estrutura piramidal com a arquitetura tradicional do templo budista.

Tumbas Xia,China,

Tumba número 3 da dinastia Xia Ocidental, em Ningxia Hui, China, 1048 d.C., pertencente ao imperador Jingzong, o primeiro dessa dinastia.

14. Templo de Borobudur, em Java, Indonésia, 800 d.C.

Construído originalmente como um templo hindu, Borobudur tornou-se um grandioso monumento budista, o maior do mundo. Seu formato piramidal é dado pelas seis plataformas quadradas sobre as quais estão outras três circulares. Possui 504 estátuas de Buda, 72 delas cercando a cúpula principal, no centro da parte superior.

Com a chegada do islamismo à ilha de Java, no século XIV, Borobudur foi abandonado mas escapou de ser destruído. Coberto por areia e argila, sobre ele cresceu a vegetação e grandes árvores que esconderam e protegeram o monumento.

Redescoberto no século XIX, Borobudur foi reconstruído a partir de 1973, sob patrocínio da Unesco, sendo totalmente “desmontado”, cada pedra foi marcada, tratada e limpada quimicamente, e novamente recolocada. A reforma custou 25 milhões de dólares e durou cerca de uma década.

Templo de Borobudur

Templo de Borobudur, em Java, Indonésia, 800 d.C. A construção foi expandida ao longo do tempo chegando a ocupar 260 mil metros quadrados.

15. Templo Prang, em Koh Ker, Cambodja, 940 d.C.

Koh Ker é o nome moderno de uma cidade importante do império Khmer que, em seu apogeu entre os séculos IX e XII, dominou a maior parte da Indochina. Em inscrições, a cidade é mencionada como Lingapura (cidade de lingams, símbolo para falo ) ou Chok Garagyar.

O templo Prang, um dos muitos existentes em Koh Ker, é uma pirâmide escalonada de 36 metros de altura, formada por sete plataformas. Foi construída pelo império Khmer para servir de templo a Shiva, deus hinduísta. Uma escada íngreme leva até o topo onde ficava o santuário. Inscrições em sânscrito dizem que este foi o mais alto e o mais bonito templo de Shiva.

Templo Prang,Cambodja

Templo Prang, em Koh Ker, Cambodja, 940 d.C., construído para adorar Shiva, deus hinduísta.

Inscrição no templo Prang.

Inscrição em sânscrito no templo Prang.

PIRÂMIDES DA OCEANIA

As ilhas do Pacífico começaram a ser povoadas há 60 mil anos. A população nativa desenvolveu embarcações e conhecimento náutico observando ondas, constelações e direções de ventos que permitiu atingir Nova Guiné, Nova Zelandia, ilha da Pascoa e outras ilhas.

16. Pirâmide Morongo Uta, em Rapa Iti, Polinésia, 1450 d.C.

Rapa Iti é uma das ilhas da Polinésia Francesa. No século XIII, a ilha estava ocupada por polinésios falantes da língua Rapa. O esgotamento dos recursos naturais resultou em guerra entre os clãs que construíram fortalezas nos cumes íngremes da ilha. Morongo Uta é considerado a mais antiga das 14 fortalezas da ilha, construída nos anos 1450-1500 d. C. Tal concentração de fortalezas é única nas ilhas do Pacífico.

Morongo Uta está localizada a 258 metros acima do nível do mar e rodeada por encosta íngremes e falésias. É uma construção maciça, formada por plataformas revestidas de pedra e com uma torre central.

Quando os primeiros europeus chegaram à ilha, em 1791, a ilha possuía cerca de 2000 pessoas distribuídas entre as fortalezas. As doenças trazidas pelos europeus reduziram a população nativa para 70 pessoas em 1851.

MorongoUta em Rapa Iti,

Pirâmide Morongo Uta, em Rapa Iti, Polinésia, 1450-1500 d.C.

PIRÂMIDE DA EUROPA

Quando o Egito passou para os domínios de Roma, em 31 a.C., houve um certo modismo, entre os romanos, de tudo que fosse egípcio. O Circo Máximo, por exemplo, foi adornado pelo imperador Augusto com um obelisco egípcio, e pirâmides foram construídas em outras partes do Império Romano por volta dessa época. Dessas, somente a pirâmide de Caio Céstio sobreviveu.

17. Pirâmide de Caio Céstio, em Roma, Itália, 12 a.C.

Caio Céstio, político e membro do colégio sacerdotal romano, ordenou em seu testamento a construção de seu túmulo em formato piramidal. A estrutura com quase 37 metros de altura e com base quadrada de 29,5 metros de largura é revestido com mármore branco.

A forma acentuadamente pontuda da pirâmide lembra muito as pirâmides núbias (veja números 8 e 9), em particular as de Méroe, que tinha sido atacada por Roma em 23 a.C. A semelhança sugere que Céstio possivelmente serviu nessa campanha e talvez tenha tido a intenção que a pirâmide servisse como uma comemoração. Foi construída de concreto tijolado coberto com lajes de mármore branco.

Pirâmide de Gaius Celtius

Pirâmide de Gaio Céstio, Roma. É o único monumento sobrevivente de uma série construída em Roma no século I a.C.

PIRÂMIDES DA MESOAMÉRICA

Chama-se Mesoamérica à região do continente americano que inclui o sul do México, os territórios da Guatemala, El Salvador, Belize e porções ocidentais da Nicarágua, Honduras e Costa Rica. Várias civilizações pré-colombianas (anteriores a Cristóvão Colombo) desenvolveram-se nessa região incluindo os olmecas, teotihuacanos, maias, toltecas e astecas.

18. Grande Pirâmide de La Venta (olmeca), México, 1000 a.C.

Os olmecas são considerados a primeira civilização da Mesoamérica, surgida por volta de 1200 a.C. na região do Golfo do México. Eles construíram centros cerimoniais com templos em formato piramidal. A Grande Pirâmide, com 33 metros de altura, tem a forma cônica resultado de quase três mil anos de erosão. Pesquisas recentes indicam que ela era, de fato, retangular e escalonada. No topo ficaria o santuário e altar para oferendas. A Grande Pirâmide olmeca nunca foi escavada.

Grande Pirâmide de La Venta

Grande Pirâmide de La Venta, México, 1000 a.C., construída pelos olmecas, a primeira civilização da Mesoamérica.

19. Pirâmide de Cuicuilco (olmeca), México, 500 a.C.

O templo em formato circular, com 17 metros de altura e 125 metros de diâmetro, testemunha o apogeu de Cuicuilco, uma das cidades mais antigas do Vale do México. No alto ficavam os altares onde eram feitas as oferendas aos deuses. O centro cerimonial e urbano de Cuicuilco foi contemporâneo dos olmecas. Após um longo declínio iniciado no século I a.C., a cidade foi destruída e sepultada pela erupção do vulcão Xitle por volta de 300 d.C

Pirâmide de Cuicuilco, México

Pirâmide de Cuicuilco, México, 500 a.C., contemporânea dos olmecas.

20. Pirâmide circular de Guachimontones, em Jalisco, México, 300 a.C.

Guachimontones é o nome de um centro cerimonial erguido pela tradição Teuchitlán, uma complexa sociedade que existiu entre 300 a.C. e 900 d.C. A estrutura principal é uma pirâmide cônica em plataformas circulares construída de terra e pedra fixada com seiva de nopal. A pirâmide era uma oferenda a Ehecatl, deus dos ventos.

Pirâmide de Guachimontones, México

Pirâmide circular de Guachimontones, tradição Teuchitlán, em Jalisco, México, 300 a.C.

21. Grande Pirâmide de Cholula, em Puebla, México, 200 a.C.

A Grande Pirâmide de Cholula ou Tlachihualtepetl (“montanha feita a mão”, em nahuatl) é considerada a maior estrutura piramidal do mundo com 400 metros de lado e 4,5 milhões de m³ de volume. Construída de terra, tem 65 metros de altura. Quando os espanhóis chegaram ao local, estava recoberta de pedras e plantas, parecendo uma colina. No seu topo foi erguida uma igreja católica, declarada patrimônio histórico do México. A pirâmide só foi descoberta em 1930, mas não pode ser escavada em sua totalidade para não destruir a igreja.

Pirâmide de Cholula, México

Vestígios da Grande Pirâmide de Cholula, em Puebla, México, 200 a.C.

22. Pirâmide do Sol, em Teotihuacán, México, 100 d.C.

Teotihuacán, a “cidade dos deuses”, é um enorme centro cerimonial e urbano com uma avenida central onde se erguem três grandes pirâmides. A pirâmide do Sol, com 65 metros de altura (teria mais 10 metros com o templo no topo, hoje desaparecido) e base quadrada de 225 metros, é a maior da América.

Pirâmide do Sol, México

Pirâmide do Sol, em Teotihuacán, México, 100 d.C.

23. Pirâmide do Jaguar (maia), em Tikal, Guatemala, 250 d.C.

A civilização maia desenvolveu-se por volta do século IV a.C. numa região próxima ao Oceano Pacífico, na atual fronteira entre o México e a Guatemala. A partir de 250 d.C., os maias se espalharam pelas florestas quentes e úmidas da Guatemala, sul do México, El Salvador, Honduras, Belize chegando até a península mexicana de Yucatã.

Tikal foi um grande centro cerimonial maia com dezenas de templos em forma de pirâmides. A maior delas é a Pirâmide do Jaguar, com 9 plataformas que totalizam 45 metros de altura. Foi construída a mando do governante maia e serviu-lhe também de sepultura. O nome se deve à figura de um jaguar entalhado na porta principal.

Pirâmide do Jaguar,Guatemala

Pirâmide do Jaguar, construída pelos maias em Tikal, Guatemala, 250 d.C.

24. Templo das Inscrições (maia), em Palenque, México, 675 d.C.

O Templo das Inscrições ou Templo I foi construído para glorificar o governante maia K’inich Janaab Pakal ou Pakal, o Grande. Construído de pedra, tem 22,8 metros de altura e 8 plataformas. Em seu interior foi descoberta, em 1949, o acesso à tumba secreta de Pakal cujos restos estão cobertos por uma máscara de mosaico de jade, diademas, brincos, anéis, colares e pulseiras, todos de jade.

Templo das Inscrições, México

Templo das Inscrições, em Palenque, México, 675 d.C. Em seu interior encontra-se a tumba do governante maia Pakal, o Grande.

25. Pirâmides de Tula (tolteca), em Hidalgo, México.

Tula ou Tollan-Xicocotitlan foi a capital do estado tolteca que se desenvolveu no centro do México e cuja influência chegou a lugares tão distantes como a península de Yucatan, El Salvador e Nicarágua. A pirâmide B, o mais conhecido dos edifícios de Tula, foi erguida no apogeu dessa civilização, entre os séculos X e XII. Na parte superior da plataforma estão quatro esculturas de guerreiros toltecas, chamados os Atlantes de Tula.

Pirâmide B, Tula, México

Pirâmides de Tula, civilização tolteca, em Hidalgo, México.

26. Pirâmide de Canaa (maia), El Caracol, Belize

Caracol ou El Caracol foi possivelmente o mais importante centro político maia no território do atual Belize, entre 300 a 900 d.C. Em seu apogeu, chegou a ter uma população estimada de 150 mil pessoas. Descoberto apenas em 1936, o complexo de El Caracol teve, escavado, até o momento, uma área central de 1,5 km de superfície. Ali se ergue a pirâmide de Canaa com 42 metros de altura.

Pirâmide de El Caracol, Belize

Pirâmide de Canaa, El Caracol, civilização maia, Belize.

27. Pirâmide El Castillo (maia-tolteca), em Chichén Itzá, México, 1000 d.C.

Erguida para o deus maia Kukulcán, a pirâmide El Castillo é um edifício piramidal com 9 plataformas que atingem 30 metros de altura. A base quadrada tem 55,3 metros de lado.

As quatro faces têm escadarias de acesso para o único templo no topo. Cada escadaria possui 91 degraus que, incluindo-se a plataforma do templo, totalizam 365 passos, igual ao número de dias do haab, o calendário maia.

Na parte inferior da escadaria Norte há duas cabeças de Kukulcán, a serpente emplumada. Nos equinócios de primavera e outono, observa-se nesta escadaria um fenômeno de luz e sombra que parece dar vida à serpente divina.

Pirâmide El Castillo, México

Pirâmide El Castillo (maia-tolteca), em Chichén Itzá, 1000 d.C., uma das construções pré-colombianas mais visitadas no México atual.

28. Pirâmide do Adivinho (maia-tolteca), em Uxmal, México,  1000 d.C.

Uxmal, fundada por volta de 500 d.C., foi uma das maiores cidades da península de Iucatã, no México. Entre suas maravilhas está a Pirâmide do Adivinho ou Pirâmide do Mago É uma estrutura singular, a única pirâmide com planta ovalada na cultura maia. Alcança 35 metros de altura com uma base elíptica de 53,5 metros no lado maior. Inteiramente construída de pedra, foi dedicada ao deus Chac, divindade da água e da chuva.

Assim como outras pirâmdes maias, a Pirâmide do Adivinho também seguiu a tradicional prática de sobreposição, isto é, em determinados períodos, nova estrutura foi construída  sobre as já existentes aumentando assim sua dimensão. A pirâmide, como está hoje, é o resultado de cinco templos sobrepostos.

O nome da pirâmide é derivado de lendas populares contadas pelos descendentes maias. Uma delas fala sobre um deus chamado Itzamna que, sozinho, construiu a pirâmide em uma noite, usando seu poder e magia.

Pirâmide do Adivinho, México

Pirâmide do Adivinho ou Pirâmide do Mago, em Uxmal, México, a única pirâmide maia com base elíptica.

28. Pirâmide de Monks Mound, estado de Illinois, Estados Unidos.

Uma pirâmide com 30m de altura, 291 de comprimento e 236 de largura inteiramente construída de terra e pedra transportadas em cestos. Foi erguida pelos índios Cahokia, antiga cultura mississipiana, entre 1050 e 1250 d.C.

Sua função ainda é desconhecida, mas há evidências de ter tido um grande edifício de madeira no topo. Hoje, os visitantes podem chegar ao topo por uma escada moderna de madeira. América do Sul

Pirâmide de Monks Mound, Estados Unidos

Pirâmide de Monks Mound, estado de Illinois, Estados Unidos, construída pelos índios Cahokia, antiga cultura mississipiana, entre 1050 e 1250 d.C.

PIRÂMIDES DA AMÉRICA DO SUL

30. Pirâmides de Caral, Peru

Caral encontra-se no Vale do Supe, 200 km ao norte de Lima, no Peru. Ali desenvolveu-se uma cultura complexa, chamada de Caral, entre 3000 a.C. e 1850 a.C., o que a torna a mais antiga do continente americano e um dos berços da civilização mundial.

O centro urbano de Caral é formado por 32 estruturas piramidais, a maior delas com 18 metros de altura e datada da mesma época em que os egípcios construíram as suas pirâmides.

Pirâmides de Caral, Peru.

Pirâmides de Caral, Peru, contemporânea das pirâmides egípcias.

31. Huaca do Sol e Huaca da Lua (mochica), Peru, 300 d.C.

Os moches ou mochicas formaram, por volta de 100 d.C., no norte do Peru, o primeiro império da América. Construíram para seus deuses pirâmides escalonadas. Entre elas, destacam-se as do Sol e da Lua.

Chamadas de huacas (ou waqa, que significa sagrado na língua quéchua, falada na região andina do Peru), elas foram construídas com tijolos de adobe e decoradas com pinturas murais nas cores vermelho, preto, azul, amarelo e branco. A ação do tempo e os saques dos aventureiros destruíram a maioria das huacas e seus painéis coloridos.

Huaca do Sol, Peru

Huaca do Sol, Peru, 300 d.C., construída pelos mochicas, povo guerreiro que formou o primeiro império da América.

32. Pirâmide de Akapana, em Tiahuanaco, Bolívia, 500 d.C.

Tiahuanaco, na Bolívia, foi capital de um vasto império cujo apogeu deu-se entre 500 e 900 d.C. Entre suas construções encontra-se Akapana, uma estrutura piramidal escalonada composta por sete plataforma contidas por paredes de arenito esculpido.Tem 194 metros de largura, 182 metros de comprimento e 18 metros de altura. No topo possuía um pequeno templo em forma de cruz assinalando os pontos cardeais. A pirâmide sofreu constante desmonte feito pelos caçadores de tesouro desde o início da colonização espanhola.

Pirâmide de Akapana, Bolivia

Pirâmide de Akapana, em Tiahuanaco, Bolívia, 500 d.C.

PIRÂMIDES DE HOJE

A pirâmide continua fascinando o homem moderno e inspirando obras ainda mais arrojadas como os edifícios abaixo (clique no nome para remeter  ao artigo).

Hotel Ryugyong (2012), um gigantesco edifício em forma piramidal com 300 metros de altura, em Pyongyang, na Coreia do Norte.

The Shard ou Shard of Glass (2012), edifício piramidal revestido de vidro, em Londres, Inglaterra, tem 306 metros de altura

Transamerica Tower (1972), em São Francisco, Estados Unidos, com 260 metros de altura.

O hotel-cassino Luxor Las Vegas (1993), nos Estados Unidos, é uma reprodução americanizada da cidade de Luxor (antiga Tebas) no Egito. Sua pirâmide tem 111 metros de altura.

Pirâmide do Louvre (1989), em Paris, França, inteiramente de vidro, com 20 metros de altura, serve como monumental entrada ao Museu do Louvre.

Compartilhe

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Outros Artigos

Últimos posts do instagram

Fique por dentro das novidades

Insira seu e-mail abaixo para receber atualizações do blog: